Veículos elétricos já consomem mais cobalto do que qualquer outra indústria

Motor24

MAIO 2022

As baterias dos carros elétricos usam metais raros que só se encontram em países em vias de desenvolvimento, como o cobalto.

Um estudo publicado pelo Cobalt Institute revelou que a procura de cobalto em 2021 registou um aumento “sem precedentes” de 22 %, com a indústria automóvel a surgir no topo da lista dos setores que mais dependente deste ingrediente essencial em baterias de iões de lítio, à frente dos fabricantes de smartphones.

Números preocupantes a vários níveis, primeiro porque a sua mineração está associada a conflitos armados, mas também porque o cobalto é um dos componentes mais caros de uma bateria para veículos elétricos. Nesse sentido, fabricantes de baterias, como Panasonic e CATL, mas também fabricantes de automóveis, como a Tesla, procuram formas de reduzir a proporção de cobalto utilizado nas baterias, ou até de poder abdicar do componente.

Em concreto, os veículos elétricos consumiram 59.000 toneladas de cobalto, o que significa que foram responsáveis por 34% do total consumido ao longo do ano passado, esperando-se que represente a metade em 2026.

De acordo com o estudo, os fabricantes de smartphone consumiram 26 mil toneladas deste mineral usado nas baterias, enquanto os laptops e tablets responderam por 16 mil toneladas da demanda total, que chegou às 175 mil toneladas.